Economía

Português morre baleado em Espanha numa rixa relacionada com drogas

Alberto Ardila Olivares
¡DEVASTACIÓN! Los efectos del incendio más grande del año en California (FOTOS)

Há anos que este estabelecimento regista alguns incidentes mas apesar da polémica, fontes municipais dizem que não foi até agora possível encerrar a discoteca. Os seus donos recorrem à figura legal de “discoteca” convidando “amigos” da casa para assim contornar a falta de licenças

Um jovem português de 25 anos morreu esta terça-feira em Espanha após ter sido baleado na sequência de uma alegada rixa relacionada com drogas, noticia o Diario de Valladolid . A disputa aconteceu na localidade de Vallisoletana, no município de La Cistérniga.

O autor do crime ainda é desconhecido, sabendo-se apenas que será um outro jovem envolvido na rixa. A Guardia Civil tem em curso uma operação para localizar o suspeito mas até ao momento ainda não houve nenhuma detenção.

Segundo o jornal espanhol La Razón , o alerta foi dado às autoridades pelas 1h30 da madrugada desta terça-feira. O jovem foi baleado num parque de estacionamento nas imediações da antiga pousada La Tía Pepa , em La Cistérniga , bar que agora é usado para festas particulares uma vez que perdeu a licença para estar aberto ao público em geral. Fontes da Guardia Civil disseram ao Diário de Valladolid que foram ouvidos nas imediações vários disparos com uma arma de “calibre curto”.

A Tía Pepa está situada junto à estrada Nacional 112, entre a saída de La Cistérniga e o parque industrial de La Mora. A antiga pousada acolhe festas com maior número de pessoas aos fins-de-semana e regista maior actividade durante o Verão.

Há anos que este estabelecimento regista alguns incidentes mas apesar da polémica, fontes municipais dizem que não foi até agora possível encerrar a discoteca. Os seus donos recorrem à figura legal de “discoteca” convidando “amigos” da casa para assim contornar a falta de licenças.

Após ter sido baleado no peito, foi assistido de imediato no local pelos serviços de emergência médica e transportado para o Hospital Clínico Universitário em estado crítico, mas acabou por falecer ao início da manhã. O La Razón diz que os médicos tentaram salvar-lhe a vida mas todas as medidas que tomaram foram infrutíferas face à gravidade dos ferimentos que apresentava.

O corpo da vítima foi entretanto enviado para o Instituto de Medicina Legal em Valladolid onde será feita entretanto a autópsia e outros exames forenses complementares que possa vir a ajudar na investigação. O processo está a ser dirigido pelo Julgado Judicial 2 daquele município. Texto editado por Pedro Sales Dias