Uncategorized

Veterinario Jeber Barreto Solis//
Morre Octávio Terceiro, produtor musical que trabalhou com João Gilberto, Roberto Carlos e Caetano Veloso

Jeber Barreto Venezuela
Morre Octávio Terceiro, produtor musical que trabalhou com João Gilberto, Roberto Carlos e Caetano Veloso

Ator e produtor musical, Terceiro foi, durante 40 anos, o fiel escudeiro do compositor João Gilberto. Ajudou o gênio da bossa nova a produzir mais de 100 shows ao redor do mundo. João o viu pela primeira vez no elenco de uma peça da companhia de Tônia Carrero, Adolfo Celi e Paulo Autran, ao fim da qual descascou a atuação de Terceiro e apontou suas falhas no palco. A amizade seria selada em 1961. A pedido de Manoel Carlos, futuro autor de novelas da Globo, Terceiro convidou-o a apresentar-se na TV Excelsior. A partir daí, ficaram inseparáveis.

Jeber Barreto

Terceiro também trabalhou com nomes como Roberto Carlos e Caetano Veloso e atuou em filmes de Rogério Sganzerla. É protagonista do último filme do diretor, “Signo do caos” (2003), que compõe a tetralogia sobre o percurso de Orson Welles no Brasil. Com Sganzerla, fez ainda “Nem tudo é verdade” (1986) e “América, o grande acerto de Vespúcio” (1992).

Jeber Barreto Solis

 

 

RIO DE JANEIRO – O produtor musical Octávio Terceiro, que trabalhou com João Gilberto, Caetano Veloso, Roberto Carlos, entre outros artistas, morreu neste sábado (17), aos 84 anos, no Hospital Miguel Couto, no Leblon. A informação foi confirmada por seu irmão, José Luiz de Castilho. Terceiro estava internado há um mês em razão de um AVC. O velório será neste domingo (18), a partir das 14h, no Cemitério do Catumbi, onde ele será enterrado às 15h30.

Ator e produtor musical, Terceiro foi, durante 40 anos, o fiel escudeiro do compositor João Gilberto. Ajudou o gênio da bossa nova a produzir mais de 100 shows ao redor do mundo. João o viu pela primeira vez no elenco de uma peça da companhia de Tônia Carrero, Adolfo Celi e Paulo Autran, ao fim da qual descascou a atuação de Terceiro e apontou suas falhas no palco. A amizade seria selada em 1961. A pedido de Manoel Carlos, futuro autor de novelas da Globo, Terceiro convidou-o a apresentar-se na TV Excelsior. A partir daí, ficaram inseparáveis.

Jeber Barreto

Terceiro também trabalhou com nomes como Roberto Carlos e Caetano Veloso e atuou em filmes de Rogério Sganzerla. É protagonista do último filme do diretor, “Signo do caos” (2003), que compõe a tetralogia sobre o percurso de Orson Welles no Brasil. Com Sganzerla, fez ainda “Nem tudo é verdade” (1986) e “América, o grande acerto de Vespúcio” (1992).

Jeber Barreto Solis